O Desabamento


 (POIS É ESTÃO VENDO A COBERTURA DO PORTÃO, ESTÃO COLOCANDO OS CORPOS EM FRENTE A UMA RESIDÊNCIA (QUANTA COMPETÊNCIA)

Faço minhas as palavras do amigo (Texto abaixo)que nos enviou as fotos dos "Servidores" do Município que ocorreu o desabamento do cemitério (ao qual a cidade sempre se orgulhou, por ser um dos poucos no mundo com vista para o mar), no entanto, o descaso passou de prefeito para prefeito por pelo menos 17 anos (tempo que residimos nesta cidade). Era uma tragédia anunciada, pois TODOS na cidade sabíamos que cedo ou tarde isto iria acontecer, tamanho pouco caso dos governantes, que acham mais vantajoso (porque será?) asfaltar, ou construir praças, afinal de contas, MORTO não VOTA.
Ainda temos que ouvir nosso (excluam-nos) digníssimo Deputado Estadual, em um programa de rádio, falar que "temos que nos preocuparmos com os vivos, e não com os mortos", sendo certo que bastou um revés político, deste Deputado, para que ele de PICUÍNHA, fechasse seu tão aclamado "Centro Social" (fechado até hoje); isso mostra, como se preocupam com os vivos nossos governantes, nesta cidade abandonada, onde o que predomina, é o CORONELISMO.



 (E-MAIL NA ÍNTEGRA ENVIADO PELA PESSOA QUE TIROU AS FOTOS, INDIGNADO COM O TRATAMENTO PRESTADO AOS MORTOS EM MINHA CIDADE)

"Espero poder ajudar. 
Em anexo segue algumas fotos, tiradas no dia 10/04/2010, por volta das 16:00 horas.
Nessas fotos podemos ver que os trabalhadores braçais da PMS, Prefeitura municipal de Saquarema, (de blusa laranja por debaixo da capa amarela, aparentando serem da Defesa civil) são os responsáveis pela retirada dos corpos. Os Servidores da Defesa Civil levam os corpos até em baixo do morro, em frente ao portão de uma casa, para depois colocá-los no caminhão caçamba azul, também da PMS.
Nas fotos intituladas "a" e "b", podemos ver, nitidamente o descaso da defesa civil ao transportar os corpos em simples sacos de lixo preto. Na foto "b", vemos claramente o crânio e parte do tórax de um corpo à mostra.
Em outras fotos vemos os trabalhadores quebrando a tal laje (que só seria quebrada com uma britadeira) com marretas comuns,e na foto "g", vemos um trabalhador braçal da PMS, com seu devido uniforme laranja, realizando a retirada de um caixão sem tampa, que foi repassado para os funcionários da Defesa Civil.
Este mesmo caixão aparece na sequência de fotos que vai de "h" à "q" , onde vemos que o caixão é levado para o portão da casa e é colocado no chão, ao lado dos outros sacos pretos. Pela disposição das pessoas na foto "q" , percebemos que o chão já está com um número considerável de sacos, já que todos estão espalhados e olhando para o chão, e um servidor da Defesa civil chega com mais dois sacos pretos comuns, de lixo, com restos de mais dois corpos.
Tenho consciência que não estou fazendo nada de errado, pois eu não estava escondido, e esta operação estava sendo feita desta maneira para quem quisesse ver. Eu só não concordo com a dinâmica da operação de retirada, muito menos do modo que foi feita.

Um abraço,
Contem comigo para qualquer coisa."


 Pelas informações da Defesa Civil Municipal, 76 corpos fora atingidos neste desabamento, no entanto temos relatos de mais de 90 corpos, e de todos esses, SOMENTE minha irmã não fora localizada.

Recebemos uma ligação de uma funcionária da Prefeitura na sexta feira dia 16/04/2010, para que nos dirigíssemos a Defesa Civil, lá chegando, fomos informados que Camilla não havia sido localizada, e que as buscas seriam interrompidas, a Defesa Civil se retiraria do cemitério, e que já havia sido contratada em caratér de urgência e SEM LICITAÇÃO (a justiça dá esse direito em casos extremos, mesmo sendo estes casos, o éden da pilantragem), uma empreiteira para iniciar as obras de contenção da encosta. Que minha irmã estaria embaixo de uma laje de 60 centímetros de espessura e muito pesada, e, que por isso, tornaria inviável a retirada da mesma com a máquina disponível, ao que indaguei: "Porque não usar uma britadeira para quebrar a laje, e retirar o corpo de minha irmã?" e a Resposta: "a Cidade não dispõe de tal maquinário." realmente IMPRESSIONANTE.

A empresa responsável pela obra, teria que limpar todo o terreno para iniciar as obras de contenção, e que SE MINHA IRMÃ FOSSE ENCONTRADA, esta empresa entraria em contato com a Defesa Civil, para fazer a retirada do corpo; ou seja, minha irmã corre o risco de ser mais uma vez enterrada sobre toneladas de concreto, tirando-nos o direito até de visitá-la, depositar flores, ou simplesmente chorar em seu túmulo.

O responsável pelas investigações do assassinato de camilla, entrou em contato  com o chefe da Defesa Civil (informação do próprio servidor municipal), informando da importância do encontro do corpo dela, para que, caso seja necessário, uma exumação posterior para elucidar qualquer tipo de dúvida quanto ao "modus operandi" e autoria do homicídio; no entanto a frase do servidor foi "esquece a Polícia Federal, aqui vocês estão tratando comigo", comprovando a falta do mínimo de conhecimento de nossa lei pátria, jurisdição, ou competências.

Entramos com uma medida judicial, na tentativa de embargo da obra, até que minha irmã seja encontrada, teremos a resposta segunda feira dia 19/04/2010. 

MATÉRIA NA ÍNTEGRA PUBLICADA NO JORNAL A TRIBUNA DE SANTOS EM 17 DE ABRIL DE 2010


Corpo some em desabamento no Rio

O corpo da bartender Camilla Peixoto Bandeira sumiu depois do desabamento parcial do cemitério onde a jovem foi sepultada, em Saquarema, no Rio de Janeiro. O local foi um dos mais atingidos pelas chuvas que devastaram o estado, na última semana.
De acordo com o irmão da tripulante, José Godolphim Bandeira, o corpo da bartender foi o único de 76 não encontrado pela Defesa Civil. As buscas foram encerradas ontem. Para a família, o órgão alegou que o corpo de Camilla – que foi sepultado em uma das gavetas da área destruída do cemitério – provavelmente está sob uma laje, já identificada. Mas,como a Cidade não possui uma britadeira, não há como alcançá-lo, explicou Bandeira. “Já foi, inclusive, contratada uma empresa para fazer a obra de contenção da encosta. Se eles acharem o corpo dela, devem entrar em contato com a
Defesa Civil”, disse o irmão. Além do desespero da família, já penalizada pela ausência da bartender,o desaparecimento do corpo pode prejudicar as investigações da Polícia Federal (PF). A localização dele é fundamental caso haja necessidade da sua exumação futuramente. Ao explicar a situação para o delegado responsável pelo caso, Sandro Pataro, Bandeira foi orientado que fizesse o possível para que o corpo fosse
encontrado. No entanto, a Defesa Civil disse ao irmão da vítima que a PF não poderia
interferir nas buscas.

3 comentários:

Paula disse...

Zé? Caraca! Parece ate piada....
Como c naum bastasse td oq vc's estao passando..., "simplesmente" eles naum vao procurar pelo corpo da Camilla??? Isso eh mt mais q absurdo!!! É indignante!!!!
Contem comigo pro q c fizer necessario!!!

Bjs
Paulica

Jessene disse...

Zé, alguma novidade?
A Obra foi embargada?

Um Irmão e uma Mãe disse...

Bom, essa é a informação que temos, agora precisamos, esperar que a prefeitura providencie a britadeira.