Reportagens

Abaixo links para matérias publicadas na internet acerca da morte de Camilla.




REPORTAGEM DO DIA 22/03/2010, NA ÍNTEGRA DA REPÓRTER QUE ACOMPANHA O CASO DESDE O INÍCIO, E A MÉDICA PARTICULAR DA CAMILLA (uma vez que a publicada foi editada)


P: Qual a sua especialidade?
R: Exerço Ginecologia e Obstetrícia na Cidade de Nova Friburgo.
P: Há quanto tempo conhecia e tratava a Camilla?
R:Conheço e trato da Camilla desde 2005 quando conheci sua mãe e me tornei amiga da família.

P: Ficou surpresa com a notícia de que ela teria, segundo o suspeito, se suicidado?
R: Não diria que fiquei surpresa e sim TOTALMENTE INCRÉDULA com a notícia de que Camilla havia se suicidado,não acreditei desde o inìcio da história em suicídio. Preciso acrescentar que não foi pelo Bruno que fiquei sabendo do falecimento de Camilla e sim pelo José que me telefonou tarde da noite de domingo para segunda dando a notícia. José tb tinha certeza de que não havia sido suicídio).  
P: Ela já havia apresentado algum sintoma de depressão antes? Como era a Camilla? 
R: A Camilla nunca apresentou nenhum quadro de depressão,comportamento depressivo ou sequer indícios de uma personalidade depressiva. Era uma pessoa bastante equilibrada,determinada,centrada,tinha objetivos de vida:Almejava ter seu próprio negócio,era muito responsável em suas atividades profissionais e muito esforçada em seus estudos(Que precisou abandonar para trabalhar tendo o terceiro grau incompleto). Sabia se valorizar como mulher.Nunca fez uso de drogas ou qualquer tipo de medicamentos controlados como ansiolíticos,calmantes ou antidepressivos.Era uma pessoa que amava muito a sua mãe e irmão.Sentia-se responsável por ela(sua mãe),já que sempre contou exclusivamente com a mãe em sua educação.Pretendia ao lado do irmão José ,dar a mãe uma vida tranquila e confortável.Tinha uma personalidade forte,não falava meias verdades.Quando não concordava com alguma coisa não deixava pra falar depois. Pelo que conheço das pessoas (São 20 anos no exercício da Medicina e 47 anos de vida)acho que Camilla amava muito a vida e não desistiria dela em hipótese alguma,inclusive por convicções religiosas(Era Kardecista)  
P: O Irmão da Camilla comentou que o suspeito conversou com voc um dia depois da morte dêla, o que ele disse?  
R: Conversei com o suspeito sim no dia seguinte da morte da Camilla. Isso ocorreu da seguinte forma:   Ao ser informada pelo irmão sobre a morte de Camilla,e vendo a mãe e o irmão sem a menor condição de agir os trâmites legais para a liberação do corpo do IML, liguei para confirmar a notícia de sua morte o que se confirmou. Fui informada que a necrópsia seria realizada no dia seguinte pela manhã e recebi a informação que só depois de realizada a necrópsia eu seria informada de como fazer para liberar o corpo.  Pela manhã liguei e me informaram que o Médico Legista de plantão estava lá e que poderia me dar mais esclarecimentos sobre como proceder na liberação do corpo,falei com o médico legista,ele disse que iria realizar a necrópsia e que o laudo demoraria cerca de 30 dias para ser liberado,que após isso o corpo poderia ser liberado. O Médico legista de plantão me informou que o "acompanhante" (Suspeito) da Camilla se encontrava lá desde o dia anterior e estava pressionando o IML para que o corpo fosse liberado "o mais rápido possível" eu perguntei se poderia falar com ele e e o mesmo imediatamente foi colocado na linha telefônica.  O diálogo ocorreu como narrarei a seguir: Suspeito chorava ao telefone de forma bastante dissimulada,eu o indaguei sobre como tudo tinha acontecido e ele respondeu que havia ido trabalhar às 07:00 hrs,que a Camilla estava sonolenta e teria dito"EU TE AMO",insistiu e repetiu isso varias vezes(esse fato já me soou bastante estraho pois a Camilla,que além de paciente era minha amiga,era sabidamente por todos que a conheciam uma pessoa "mal humorada" ao acordar.  Com"detalhes de horas e minutos" ele continuou dizendo: Que às 09:55 voltou a cabine para pegar um cigarro e ao abrir a porta encontrou o corpo da Camilla pendurado por um lençol no pescoço,amarrado a tubulaçãpo de ar condicionado enforcada. Disse que imediatamente retirou o seu corpo,soltando o lençol sózinho,ainda antes de pedir ajuda,na tentativa de ressucitá-la,procedimento esse que diz te feito sem sucesso resolvendo só então chamar ajuda e a equipe médica do navio.  Embora seja médica e não detetive,me estranhou mais uma vez o fato dele dizer e repetir por várias vezes que isso tinha ocorrido as 09:55(pq tanta precisão do horário? Pq falar insistentemente desse horário?).   Disse ter ficado o tempo todo na cabine enquanto a equipe médica fazia a constatação do óbito e diz ter sido a seguir levado para a polícia federal onde diz ter sido interrogado o dia todo.   Disse que ao ser liberado resolveu ir para o IML santos,onde estava até aquela hora e que não sabia pra onde iria,pois não tinha dinheiro e estava somente com uma mochila.   Perguntei a ele por qual motivo ele achava que a Camilla havia se suicidado e ele respondeu que ela estava com saudades de casa e que tinha muitos ciumes dele.   Perguntei se eles estavam brigando muito e ele disse que não,perguntei se ele a teria agredido em alguma ocasião já que eu teria informações da família que ela teria sido atendida no serviço médico do navio em 3 ocasiões distintas,ele negou a ocorrência de brigas e de agressões.Disse que ela havia sido atendida por apresentar hemorragia no período menstrual em uma ocasião e que recentemente teria se queimado com cloro nas mãos(durante o trabalho)e que foi atendida por isso.    Perguntei a ele se ele era usuário de drogas (já que a mãe de Camilla havia me dito que ela pretendia desembarcar do navio por ter descoberto que ele estava "envovido com drogas",ele negou ser usuário e hoje me pergunto se esse "envolvimento" não seria tráfico de drogas,e não uso de drogas com a mãe de Camilla havia entendido.    Perguntei se eles haviam brigado a noite e ele disse que não,qua a Camilla teria chegado por volta da 23:00,arrumado a cabine e que estava preocupada com questões de trabalho(algo sobre o estoque do bar que era de sua responsabilidade),e havia ido dormir.   Quando disse no inicio da resposta dessa pergunta que ele estava com um choro dissimulado,afirmo isso pois ele parava de chorar e respondia com voz normal e sem sinais de sofrimento a perguntas práticas que o interessavam ,como quando perguntei se ele estava com dinheiro e ele negou dizendo estar sem nenhum dinheiro,e quando pedi que me fornecesse o telefone da companhia que os havia empregado para que ela agisse a liberação do corpo e a situação dele,ele prontamente e de forma COMPLETAMENTE EQUILIBRADA,RACIONAL E SEM CHORO,ME FORNECEU OS DADOS SOLICITADOS.    Não sei se ajudei em alguma coisa te dando esses dealhes. Espero que sim,pois tenho CERTEZA ABSOLUTA QUE Camilla nunca,em nenhuma hipótese se mataria e tenho medo que fique impune um assassino a mais livre pelas ruas embora confie,na eficiência da Policia Federal,no Delegado Federal do caso e dos peritos técnicos e médicos que atuam no caso.    Caso precise de mais alguma informação estou aeternamente a sua disposição.    Um Abraço,
 
Matéria na íntegra, Publicada em 12 de Janeiro de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos 
CRUZEIROS
Polícia Federal investiga morte a bordo de navio
DA REDAÇÃO
A tripulante do navio MSC Musica, Camila Peixoto Bandeira, de 28anos,foi iencontrada morta com sinais de estrangulamento,no interior de sua cabine, na manhã do último domingo, quando o transatlântico retornava ao Porto de Santos de um cruzeiro de sete noites. A Polícia Federal (PF) investiga se houve um suicídio ou um homicídio. Segundo o delegado responsável pelo caso, Sandro Pataro, o corpo da vítima foi encontrado por seu companheiro, também tripulante. Em dois depoimentos prestados à PF, ele afirmou que saiu para trabalhar por volta das 7 horas e, quando retornou à cabine às 9h50 para fumar, já encontrou Camila sem vida. Ambos trabalhavam no bar do Musica. Pataro disse que “não sentiu firmeza” nas declarações feitas pelo tripulante em seus depoimentos. Diante da suspeita, o companheiro da vítima foi impedido de seguir com a tripulação no próximo cruzeiro do navio, que partiu no final da tarde de domingo. “Ele está em Santos. Por precaução, vou ainda encaminhar um pedido ao juiz para evitar que o tripulante deixe o País e também que siga para outra viagem do Musica”. Os médicos que foram chamados ao local para socorrer a vítima e o comandante da embarcação também foram ouvidos. O delegado aguarda agora os laudos dos peritos e do Instituto Médico Legal (IML) para obter mais detalhes sobre o caso. “Os laudos vão falar bastante. Através deles, vamos saber se as informações batem”, disse o delegado. Procurada por A Tribuna, aMSC Cruzeiros, operadora do MSC Musica, afirmou que irá se pronunciar apenas após a liberação dos laudos. (LS)   
Matéria na íntegra, Publicada em 14 de Janeiro de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos 
MORTE A BORDO
Bartender do navio ‘MSC Musica’ é enterrada em Saquarema
LYNE SANTOS DA REDAÇÃO O corpo da bartender do navio MSC Musica Camila Peixoto Bandeira foi retirado do Instituto Médico Legal (IML) de Santos na última terça-feira. E, na madrugada de ontem, foi levado para Saquarema (RJ), onde mora sua família, para ser velado e sepultado. Camila,de28 anos,foiencontrada morta no último domingo, em sua cabine, quando o Musica voltou a Santos, após uma viagem de sete noites. Segundo a Polícia Federal (PF), que investiga se foi um suicídio ou um homicídio, o corpo foi descoberto pelo companheiro de Camila, que também era tripulante. O casal, que se conhecia há 13 anos, trabalhava no bar do navio. Em seus dois depoimentos à PF,ele afirmou que ela se enforcou com um lençol amarrado no tubo do ar-condicionado. O delegado responsável pelas investigações,Sandro Pataro, diz que não sentiu firmeza nas declarações. Em um primeiro contato informal com a família da vítima, Pataro conversou com a mãe de Camila. Ela contou que o casal brigava muito e que, inclusive, ele batia em sua filha. “Não sei se podemos levar em consideração, pois ela estava com as emoções à flor da pele”. O delegado afirmou que pretende registrar um novo depoimento da família. A PF aguarda a liberação dos laudos da perícia, que devem ser emitidos em cerca de 15dias, e também do IML. Devido à investigação e à suspeita de homicídio,o companheiro e Camila foi impedido de seguir no transatlântico. Pataro pedirá à Justiça uma ordem proibindo a saída do tripulante do País. Até a noite da última terça-feira, o marítimo estava hospedado em um hotel em Santos. No entanto, deixou o local para acompanhar o enterro da jovem em Saquarema.  
Matéria na íntegra, Publicada em 15 de Janeiro de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos
MORTE A BORDO
Delegado pede exame toxicológico
LYNE SANTOS DA REDAÇÃO
 APolícia Federal (PF)solicitou que sejam feitos exames toxicológicos no corpo da bartender do MSC Musica Camila Peixoto Bandeira e em seu companheiro, também tripulante do navio. A jovem de 28 anos foi encontrada morta em sua cabine no último domingo,quando o transatlântico retornou ao Porto de Santos. As autoridades investigam se houve suicídio ou homicídio. Segundo o delegado responsável pelo caso, Sandro Pataro, um teste preliminar feito em uma blusa feminina encontrada na cabine revelou alguns pontos azuis claros na peça, que podem ser cocaína. “Pode não ser da Camila, mas sim da mãodo seu companheiro”, disse Pataro. De acordo com o delegado, o “marido”da vítima havia afirmado, em seus depoimentos, que o casal nunca usou drogas. “Não sei como ele pode ter tanta certeza da parte dela, já que mesmo juntos há 13 anos, eles tiveram períodos de separação”. Pataro disse que também foi pedida a listagem dos últimos acessos à cabine feitos com o cartão magnético, utilizado como chave. A última abertura feita por fora ocorreu às 9h43.O horário aproxima-se ao mencionado pelo tripulante em sua declaração, quando disse que havia retornado para fumar às 9h50 e encontrou Camila morta.  
 Matéria na íntegra, Publicada em 17 de Janeiro de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos

PF deve ouvir hoje tripulantes da MSC
LYNE SANTOS DA REDAÇÃO
Uma equipe de agentes da Polícia Federal (PF) pretende colher hoje novos depoimentos a bordo do MSC Musica, que estará atracado no Porto de Santos. No último domingo, a bartender do transatlântico Camila Peixoto Bandeira, de 28 anos, foi encontrada morta pelo seu companheiro, também tripulante, quando o navio retornava ao complexo santista. As autoridades investigam se houve suicídio ou homicídio. Até agora já foram ouvidos o marido da vítima,o comandante do Musica e os médicos que estiveram no local no dia da ocorrência. O companheiro de Camila deverá prestar depoimento novamente apena sapós a liberação dos laudos do Instituto Médico Legal (IML) e da perícia – que devem sair em dez dias – para que haja o confronto das informações. Enquanto isso, ele está impedido dedeixar o País, conforme solicitação feita à Justiça. Na última sexta-feira,o delegado responsável pelas investigações, Sandro Pataro, revelou os horários em que o companheiro de Camila teria se ausentado do trabalho e supostamente seguido em direção à cabine. De acordo com Pataro,o chefe do tripulante informou a um agente da PF que esteve a bordo que o rapaz realmente pediu para se ausentar. Entre 9h e 9h20 ele teria pedido para ir ao banheiro e por volta das 9h40 saído para levar um suco. Em seu depoimento, o companheiro da vítima negou ter pedido para sair. No entanto, ele disse que encontrou Camila morta quando foi a sua cabine fumar, próximo de 9h50. Outro dado considerado importante, conforme Pataro, é o de que o tempo de caminhada do bar onde o companheiro de Camila trabalhava e a cabine era de dois a três minutos. O delegado chegou a comentar ainda que foram cedidas cabines diferentes para o casal, que trocou com amigos para que pudessem ficar juntos.   Matéria na íntegra, Publicada em 19 de Janeiro de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos
MORTE A BORDO. Camila Peixoto Bandeira foi encontrada morta em sua cabine, no MSC Musica, no dia 10
Mãe de bartender não acredita que filha tenha cometido suicídio
SAMUEL RODRIGUES DA REDAÇÃO  
A Polícia Federal (PF)ouviu ontem Rosângela Bandeira, mãe da bartender Camila Peixoto Bandeira, de 28 anos, que foi encontrada morta no interior de sua cabine no transatlântico MSC Musica, do qual era tripulante, na manhã do último dia 10. O corpo da jovem tinha sinais de estrangulamento. A morte de Camila é investigada pela PF de Santos, que trabalha com duas hipóteses: suicídio ou homicídio. Rosângela chegou por volta das 16 horas de ontem à sede da PF, no Centro de Santos, para ser ouvida. Visivelmente abalada, ela preferiu reportar-se ao delegado antes de conversar com ATribuna. Depois,em seu primeiro contato com a imprensa desde a morte de sua filha, respondeu com veemência: “Minha filha se suicidar? Nunca.Primeiro pelo amor,pelo respeito e pela forma como a família a amparava. Éramos eu, meu filho e minha filha, só nós três.Ea nossa família sempre foi muito unida. Tudo ela me confidenciava. Depois,porque nós somos espíritas kardecistas. Então, minha filha jamais faria isso”, disse, segurando o choro. A mãe de Camila também tratou de desmentir a informação que corria de que Camila e o companheiro estariam juntos há 13 anos. “Ele namorou minha filha dois anos, quando ela era adolescente e estava com 16 ou 17. Logo em seguida ele foi embora para Minas. (...) Os rumos deles nunca mais se cruzaram. Vieram a se cruzar há pouco tempo”. Recentemente, segundo Rosângela, ele entregou a Camila um anel de compromisso, simbolizando que estavam namorando. Mas a bordo, explicou, eles disseram que eram noivos para que pudessem dividir a mesma cabine. Perguntada sobre o que pensa a respeito do caso, a mãe procurou não culpar ninguém. “Vou aguardar o laudo. Eu não sou Deus.Eu só quero Justiça”.  
BACKUPS
De acordo com o delegado responsável pelo caso, Sandro Pataro, o depoimento de Rosângela é um complemento à investigação e é importante para que se evidencie o grau de envolvimento de Camila com seu companheiro. “Ele morou um tempo na casa dela,em Saquarema (RJ), de junho até outubro (do ano passado). Ela tinha um CD com back-ups de arquivos dele, que eu vou mandar para a perícia”, declarou Pataro. Segundo o delegado, Rosângela já havia adiantado suas declarações em carta. “Hoje, ela apenas me confirmou essas declarações”. Durante o final de semana, a PF colheu depoimentos de tripulantes do navio, que ainda serão analisados.Para o investigador, há peças faltando nesse quebra-cabeça. “A descrição da cena do crime pelo rapaz não me soou muito bem nas três vezes em que eu o ouvi. Algumas coisas também não foram bem explicadas. Por exemplo, a disposição da cena do crime e o fato de o lençol com que ela supostamente se enforcou não estar no teto quando a testemunha chegou”. A investigação terá sequência com a análise dos depoimentos do final de semana e a chegada dos laudos do Instituto Médico Legal (IML), que foi encarregado de averiguar as marcas no corpo de Camila, e da perícia da própria PF. Outros exames foram pedidos pelo delegado, entre ele so que vai apontar se há cocaína em uma blusa feminina encontrada dentro da cabine. “(Se for cocaína,) pode influenciar na avaliação do comportamento dele, das afirmativas dele. No depoimento, ele afirma categoricamente que nunca usou drogas, e nem ela”.   
Matéria na íntegra, Publicada em 21 de Janeiro de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos
 
MORTE A BORDO
Tripulantes citam relação violenta
LYNE SANTOS DA REDAÇÃO
Tripulantes do navio MSC Musica afirmaram que o relacionamento mantido
entre a bartender Camila Peixoto Bandeira e seu companheiro, garçom do
transatlântico, era conturbado e violento. Essas informações foram fornecidas a agentes da Polícia Federal (PF)que estiveram a bordo da embarcação no último domingo,quando o Musica estava no Porto de Santos. Camila,de 28 anos,foi encontrada morta no interior de sua cabine no transatlântico, na manhã do último dia 10.O corpo da jovem tinha sinais de estrangulamento.A morte é investigada pela PF de Santos, que trabalha com duas hipóteses: suicídio ou homicídio. Diante dos depoimentos, o delegado responsável pelo caso, Sandro Pataro, pediu para o
hospital do navio um relatório de atendimentos, para verificar se Camila teria passado pelo posto médico. De acordo com Pataro, um tripulante amigo da jovem relatou que Camila pensava em deixar o emprego, pois não estava satisfeita com o relacionamento. Colegas da bartender disseram à PF que ela reclamava que o “marido” usava drogas. Camila fez o mesmo comentário a sua mãe, Rosângela Bandeira, que esteve na última segunda- feira em Santos para prestar depoimento.Ao ser ouvido pelo delegado, o companheiro de Camila garantiu que não usava entorpecentes e aceitou fazer o exame toxicológico. Segundo seus amigos, a tripulante afirmou que mantinha o relacionamento com o rapaz apenas porque ele tinha uma dívida com ela e sua mãe. Em sua declaração, Rosângela garantiu que emprestou dinheiro para que o garçom pudesse voltar da Europa, onde estava embarcado em um transatlântico. Asituação ocorreu no ano passado, quando o casal voltou a namorar. Em 5 de julho, o rapaz deu um anel de compromisso à jovem. Até o embarque no Musica, em outubro, o garçom estava na casa de Camila.  
HORÁRIO  
Segundo Rosângela, a jovem abria o bar do Spa do navio às 7h30. No entanto, seu companheiro afirmou que a encontrou morta na cabine que dividiam por volta das 9h50. E quando saiu para trabalhar, às 7 horas, Camila teria ficado dormindo.
Diante dos fatos,o delegado solicitou à MSC Cruzeiros os horários oficiais da bartender. “Parece que os horários eram flexíveis, já que a mãe comentou que, uma vez, Camila ligou às duas horas da manhã, pois ficou trabalhando até tarde”, afirmou Sandro Pataro. No próximo domingo, quando o Musica estará no Porto, o delegado pretende ir a bordo para conversar com outros tripulantes. As autoridades aguardam a liberação dos laudos do Instituto Médico Legal (IML) e da perícia. Conforme Pataro, os peritos explicaram que vão precisar do resultado do IML para concluir suas análises.  
GARÇOM  
De acordo com a família de Camila, o “marido” da jovem continua em Saquarema
(RJ), onde, na última semana, foi realizado o velório e o enterro da bartender.
Sobre o envio do inquérito à Justiça, solicitando que o marítimo não saísse do País,
Pataro disse que, pelas informações recebidas inicialmente por telefone, o pedido não
foi totalmente atendido. “Pedi que o passaporte dele fosse apreendido e que ele não pudesse sair do Brasil. Porém, a Justiça entendeu que, com a medida, ele ficaria impedido de trabalhar. Então, permitiu que embarcasse de novo, mas desde que não pudesse descer do navio em águas internacionais. Mesmo assim, acredito que a MSC não vai querer embarcá-lo”.  
Matéria na íntegra, Publicada em 26 de Janeiro de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos
 
POLÍCIA FEDERAL. Irmão de Camilla diz que ela não aguentava mais agressões do companheiro e pediu para trocar de cabine
Bartender planejava deixar emprego
LYNE SANTOS DA REDAÇÃO
A bartender do transatlântico MSC Musica Camilla Peixoto Bandeira pretendia deixar seu emprego no navio e desembarcar no Porto de Santos no último dia 10, quando foi encontrada morta por seu companheiro, na cabine que dividiam. A informação é do irmão da vítima, o advogado José Godolphim Bandeira. Segundo o irmão, a jovem, de 28 anos,não mais suportava as agressões do “marido”, garçom do transatlântico, e as consequentes idas ao Departamento Médico. Em entrevista exclusiva a A Tribuna, Bandeira contou que Camilla informou aos oficiais o que estava ocorrendo e pediu para trocar de cabine, mas não foi atendida. “Ela iria desembarcar no dia 10 devido aos maus-tratos, mas infelizmente não houve tempo hábil”. A morte de Camilla é investigada pela Polícia Federal (PF), que trabalha com as hipóteses de homicídio e suicídio.Já prestaram depoimentos o namorado da jovem, tripulantes e a mãe da bartender, Rosângela Bandeira. O companheiro de Camilla afirmou que ela se enforcou com um lençol. De acordo com o irmão, dia 13 de dezembro do ano passado foi quando ele e a mãe estiveram com Camilla pela última vez. A família, que mora em Saquarema (RJ), costumava ir a Búzios,no litoral fluminense, sempre que o Musica estava atracado na cidade. “Ela nos disse que estava sofrendo agressões verbais e humilhações”, relatou Bandeira. Ele ressaltou que os ataques foram intensificados após a temporada em Búzios. O último contato telefônico da família com Camilla aconteceu três dias antes de sua morte, contou o advogado. “Ela disse para pintarmos o bar que íamos abrir de lilás e azul, pois iria trazer copos lindos de Veneza. Quem pensa em suicídio não faz planos para o futuro três dias antes de se matar”. Indignado,o irmão da jovem não acredita na hipótese de suicídio.“ No que depender da nossa família, ninguém vai colocar goela abaixo que minha irmã se matou. Não vou aceitar que manchem a imagem dela. Vou até a última instância para provar a verdade, nem que tenhamos que pedir a exumação do corpo”, enfatizou, garantindo que Camilla adorava o emprego, as amizades e a vida de tripulante.
FERIMENTOS
O advogado apresentou dúvidas sobre ferimentos encontrados no corpo de Camilla no dia do velório. “Não entendi por que as unhas dela estavam cortadas rente à pele – pouco provável que tenha sido ela, pois era muito vaidosa e prezava muito as unhas. Além disso, suas mãos estavam machucadas com sinais de arranhaduras nas dobras dos dedos da mão esquerda, e com a ponta do dedo indicador da mesma mão arroxeada”, detalhou. Também chamou a atenção de José Godolphim Bandeira
uma marca no pescoço bem a mostra. “Pesquisei na internet e os sinais não condizem com enforcamento, já que havia mais de uma marca em seu pescoço”. O delegado da Polícia Federal responsável pelo caso, Sandro Pataro, explicou que as unhas da jovem devem ter sido cortadas no Instituto Médico Legal, para a realização dos exames.O laudo do órgão foi emitido na última sexta feira e apontou asfixia mecânica como a causa da morte. Mas não foi conclusivo para homicídio ou suicídio. No documento, está registrado que a bartender tinha ferimentos em uma das mãos, porém eram parecidos com lesões dermatológicas. No último domingo,o delegado foi ao MSC Musica, que estava em Santos, para colher novos depoimentos. Ele ouviu dois tripulantes e a enfermeira que foi a primeira a entrar na cabine da jovem. As informações obtidas pela PF foram destacadas pelo irmão de Camilla. “A declaração da enfermeira não está de acordo com a do companheiro de Camilla. Ele alegou que a colocou no chão para fazer respiração boca-a-boca. Já a enfermeira disse que ela estava de lado, com o ombro um pouco
na parede”.
Matéria na íntegra, Publicada em 18 de Março de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos.
MORTE DA BARTENDER
PF encontra divergências em depoimento de garçom
LYNE SANTOS DA REDAÇÃO
A Polícia Federal (PF) identificou contradições na versão do companheiro da bartender Camilla Peixoto Bandeira,durante a segunda reconstituição da morte da moça, feita ontem,na cabine que ela ocupava no transatlântico MSC Musica. Foi o rapaz que encontrou a tripulante morta, nesse quarto, no último dia10 de janeiro. Segundo o delegado da PF responsável pelo caso, Sandro Pataro, foram observadas divergências em relação à disposição de objetos na cena 
e sobre a localização do corpo da tripulante. “Percebemos algumas coisas que não necessariamente terão uma conclusão direta. Precisamos esperar o laudo dos peritos para comparar as informações e ter uma avaliação mais exata.Com certeza foi bastante valioso para fazer uma comparação dos testemunhos de cada pessoa que já tinha sido ouvida e comparar com o que ele alegou”, explicou o delegado. A simulação, que teve início às 10h30, levou cerca de duas horas e contou com a participação de dois agentes da PF e cinco peritos, além do companheiro da vítima, garçom do transatlântico. A nova encenação foi necessária devido a ausência do companheiro de Camilla na primeira, realizada na última quinta-feira. Na ocasião, estiveram presentes o comandante, o subcomandante e uma enfermeira do Musica. Ontem, além da reconstituição, o namorado da moça prestou seu quarto depoimento à PF,durante duas horas. O companheiro da bartender garante que ela se suicidou com um lençol amarrado nos tubos do ar condicionado. A PF trabalha com duas hipóteses, a de suicídio e homicídio. Em seu novo depoimento, o garçom afirmou que a jovem sofria de depressão,mas não fazia tratamento, nem tomava medicamentos,informou o delegado. O ex-tripulante se negou a falar com a reportagem.
Matéria na íntegra, Publicada em 17 de Abril de 2010, no Jornal "A TRIBUNA" de Santos.
Amigos rechaçam suicídio de bartender
Camilla Peixoto Bandeira foi encontrada morta há três meses no MSC Musica. Médica e ex-tripulante contestam versão do namorado dela
LYNE SANTOS DA REDAÇÃO  
Familiares e amigos da bartender Camilla Peixoto Bandeira, encontrada morta há três meses, em sua cabine no navio MSC Musica, rechaçam a versão d esuicídio apresentada pelo companheiro dela, que trabalhava como garçom do transatlântico. O rapaz, que encontrou o corpo da tripulante, afirmou à Polícia Federal (PF) que ela se enforcou comum lençol. Mas a PF também suspeita de homicídio. “Não diria que fiquei surpresa, mas, sim, totalmente incrédula com a notícia de que Camilla havia se suicidado”, disse a ginecologista Regina Lobo, que acompanhava Camilla desde 2005 e também se tornou amiga da família. A médica foi uma das primeiras a conversar como companheiro da bartender, um dia após a morte dela, quando  eleainda estava no Instituto Médico Legal de Santos. Na ocasião,ao ser questionado sobre o que teria levado Camilla a se suicidar, o garçom respondeu à médica que “ela estava com saudades de casa e tinha muito ciúmes dele”. Mas, para Regina, a alegação do rapaz de que Camilla sofria de depressão não faz sentido. Em um dos seus depoimentos, ele disse à PF que a vítima era depressiva. “A Camilla nunca apresentou nenhum quadro de depressão, comportamento depressivo ou sequer indícios de uma personalidade depressiva. Era uma pessoa bastante equilibrada, determinada, centrada e com objetivo de vida”, destacou Regina. Segundo ela, a bartender fazia planos de ter o seu próprio negócio. Além disso, era muito responsável em suas atividades profissionais e esforçada nos estudos. “A Camilla sabia se valorizar como mulher,nunca fez uso de drogas ou qualquer tipo de medicamento controlado, calmantes ou antidepressivos. Era uma pessoa que amava muito a mãe e o irmão”, explicou a ginecologista. “Pelo que conheço das pessoas, acho que a Camilla amava a vida e não desistiria dela em hipótese alguma, inclusive por convicções religiosas (era kardecista)”, completou a médica, que manteve contato com a jovem via internet depois que ela embarcou no navio.
EX-TRIPULANTE
Pablo Balinas Valente, de 19 anos, amigo de Camilla, trabalhou com ela a bordo do Musica, e não ficou convencido com a versão apresentada pelo namorado da bartender. Valente e Camilla trabalhavam juntos no Bar della Cascata. Além disso, a cabine dele ficava em frente à que a jovem dividia com o namorado. “Não tem lógica ela ter se matado, principalmente porque dias antes tinha falado para a mãe que iadesembarcar”,afirmou. De acordo com Valente, Camilla era “meiga e, ao mesmo tempo, durona”. Para ele, a jovem também tinha uma personalidade “muito forte”. “Ela era carismática, amorosa e falava com muito carinho do companheiro. Porém, chegou a falar que se ele (namorado) um dia enchesse o saco, ela iria embora, pois não tinha nada que a segurasse ali dentro.Era decidida, jamais ia se matar”. Sobre o relacionamento que a jovem mantinha a bordo, Valente garantiu que nunca percebeu nada de estranho, apesar de não ter uma bo aimpressão do companheiro dela. “Ele era reservado, mais seco, nunca vi nenhuma demonstração de afeto com a Camilla. Não fiquei espantado quando a mãe dela me contou que ele começou a bater nela. Não sei o motivo, mas talvez porque tive uma impressão ruim dele. Eu me perguntava o que a Camilla estava fazendo ao lado dele. Não combinavam”. Para o amigo da bartender, não havia motivos para ela se suicidar. “Ela ainda tinha mais aceitação ao trabalho do que eu. Ela batia o pé, se tinha algo que não gostava. Além disso, conversava todos os dias com a mãe. Ela assinou o telefone da cabine e passavam horas falando”, contou. Um dos motivos para Camilla ter embarcado foi trabalhar com o namorado, lembrou o amigo. “Ele já tinha trabalhado em vários navios, mas nunca juntou dinheiro. Então, ela tinha ido para ver se conseguiam juntar para terem alguma coisa”.
Em cartas, vítima relatava saudade
Enquanto esteve embarcada no MSC Musica, a bartender Camilla Peixoto Bandeira
enviava cartas à família regularmente. Além disso, conforme confirmaram amigos da jovem, ela conversava frequentemente com a mãe, Rosângela Bandeira,por telefone.
O irmão da tripulante, José Godolphim Bandeira, entregou, com exclusividade para A
Tribuna, duas dessas cartas e ainda a listagem das ligações feitas por Camilla a bordo do transatlântico. “O tempo por aqui parece não passar, penso em vocês, na nossa casa e de como eu era feliz no meu mundinho aí com vocês. Esse tempo que estou aqui me serviu de uma coisa. Nós não precisamos de muito para encontrarmos a felicidade”, escreveu a jovem em uma das cartas enviadas à mãe (ver
ilustração) e que termina com um“Te amo muito”. Em outro texto, Camilla avisa
à Rosângela que estará sempre presente, provavelmente antes de seguir para
uma viagem distante na embarcação.“Vou trabalhar um pouco longe, mas nunca pense que se sentirá sozinha. Sempre estarei ao seu lado. Te amo muito e muito obrigada por todo o apoio que tem me dado nessa jornada, que não é nada fácil. Sentirei saudades, mas saiba que todo o nosso esforço será válido. Te amo muito e nunca se esqueça disso”.
 
LIGAÇÕES
 
A listagem comos telefonemas feitos pela bartender de sua cabine mostram 13 ligações para a casa da família, em Saquarema, no Rio de Janeiro. Havia telefonemas em horários diversos, provavelmente nos intervalos das jornadas de trabalho. Diante da lista, o irmão da vítima questiona o não aparecimento das ligações feitas por
ela nos dias 6 e 7 de janeiro— anteriores à sua morte—,quando teriam sido relatados os problemas enfrentados com o companheiro a bordo.
(LS)

10 comentários:

Anônimo disse...

Bom... infelizmente não tive o prazer de conhecer a Camila. Conheci a Rosangela por acaso em minha loja, uma amiga em comum estava na loja , então ela entrou para conversar.
Fiquei chocada com o acontecimento, vendo o sofrimento daquela mãe e sem poder fazer nada. É MUITO TRISTE! mas infelizmente oque podemos dizer ou fazer? fico sem palavras diante de tanto sofrimento...



Fé!



a verdade sempre aparece, e o culpado vai pagar por tudo que fez!
A justiça de Deus não falha.


Estou aqui. para oque precisar.
Fique com Deus.
Thaíssa

IGOR disse...

Olá meu irmão,infelizmente já passei por uma situação parecida vcs sabem né,a vida fika sem sentido algum,nos vemos perdidos,e a resposta pra essa dor?O tempo e uma certeza:os momentos bons q passamos fikam pra sempre,gravado em nossos corações.O tempo é remédio,e nele conquistamos o consolo e a medida q ele vai passando,transformamos nossos entes queridos em eternos companheiros,nossos sonhos ganham aliados e nossa vida conquista anjos e no fim só nos resta a saudade,mas de uma certeza:NÃO IMPORTA ONDE ESTEJAM,ESTARÃO SEMPRE CONOSCO!

Um grande abraço meu irmão e tia muita força,estarei sempre aki qnd precisarem de mim,é o minímo pelo o q fizeram por mim todos esses anos maravilhosos q compartilhamos juntos!Eterna saudade minha irmãzinha!!!

IGOR INK...

karol disse...

bom nem sei oq disser pois nao tive a honra de conhecer a camila mais como mae posso saber a dor que a senhora esteje sentindo conversei com a senhora hoje na padaria da ponte e viu que seus olhos nao brilhavam mais pois perder a camila para vc e como se uma luz se apaga_se ,mais pode ter certeza que ela sempre vai estar do seu lado como a senhhora mesmo disse hoje a camila nao era so uma filha era como sua mae e como mae ela vai estar sempre do seu lado tenha fe em deus que tudo vai dar certo e principalmente tenha força e viva entensamente que concertza e oque ela gostaria a vc eu deixo meus sincerosvotos que tudo se esclaresaque o culpado seje presso e condenado fique com deus e que ele te proteja nessa dura e dolorosa caminhada beijos

karol disse...

me comunique se ocorrer alguma novidade ficarem horando por vcs

Anônimo disse...

fala josé;
Sou o JÚLIO,Camila me chamava de (grandão)vc tbm me conhece, estudei com Camila na uva, faziamos direito na mesma sala!!!
pois é irmão tinha uma tremenda amizade com sua irmã, ela tinha esse jeito durão, não levava disaforo pra casa mas como vc citou tinha um coração grande demais,ela tinha mania de defender quem ela gostava, cara é uma perda muito grande foi uma das melhores pessoas q tive o prazer de conhecer na minha vida...
Eu soube a um tempo atrás e o que mas me deixou emocinado foi o fato dela começar a aparecer em meus pensamentos, me bateu saudades dela, coração apertado,foi coisa de uns dois dias até eu começar a procurar ela no orkut, então pedi ajuda a uma de nossas amigas q tbm achei no orkut, Renata, vc conheceu, ela procurou e encontrou as notícias da morte de nossa amiga na net...

Mas José apesar de eu não ter religião, ainda assim acredito em Deus e creio q nesse momrnto ela está melhor q nós...

abraços se quiser entrar em contato dar notícias é só procurar meu email : jcreis10@ymail.com ou
orkut : lucianapegas@yahoo.com.br
valeu

kelly disse...

Oi Zé estou vindo aqui pra falar um pouco de Camilla , uma menina maravilhosa , como nos divertíamos quando mais novos (crianças) ela muito amiga e cativante me lembro dela no corredor do prédio em que morávamos brincando de boneca com a mina irmã ,com uma personalidade muito forte sempre comandava as brincadeiras e eu ria muito com ela , me lembro de uma vez que ela. Hoje sabemos que ela com certeza está nos braços de Deus pois uma pessoa como ela não poderia estar em outro lugar a não ser lá. Saiba que a justiça Divina tarda mais não falha o culpado ou ... os culpados serão punidos na forma da lei e vocês se sentirão realizados por terem feito justiça para que não aconteça com outras famílias o que aconteceu com a sua .Sei que nada do que dissemos vai mudar o sentimentos que vcs estão sentindo mais o importante agora nesse momento é ter força e muita coragem pra superar todos os obstáculos que a vida tem dado , mais é preciso muita força e isso é essencial na vida de vcs , peço a vc que viva a sua vida e de muita força pra sua mãe pois ela está preocupada pq vc não vive mais , mais ela precisa tirar forças de onde não tem pra dar força pra vc tbm AMO VCS E POR ISSO QUERO VÊ-LOS BEM .
Sabe ... aprendi que ...
amores eternos podem acabar em uma noite;
Que grandes amigos podem tornar-se ferrenhos inimigos;
Que o amor sozinho não tem a força que imaginei;
Que ouvir aos outros é omelhor remédio e o pior veneno;
Que a gente nunca conhece uma pessoa de verdade ... afinal gastamos uma vida inteira pra conhecer a nós mesmos;
Que confiança não é questão de luxo e sim de sobrevivência;
Que aos poucos amigos que nos apoiam na queda são muito mais fortes do que os que nos empurram;
Que o "NUNCA MAIS" nunca se cumpre e que o "PRA SEMPRE" sempre acaba;
Que nossas famílias com suas mil diferenças está sempre aqui quando nós precisamos;
Que ainda não inventaram nada melhor do que o colo da mamãe desde que o mundo é mundo;
Que vamos sempre nos surpreender seja conosco mesmo ou com os outros;
Que vamos cair e levantar milhões de vezes e não vamos ter aprendido tudo;
Por isso devemos viver cada dia como se fosse o último;
Hoje ando de vagar porque já tive pressa e trago esse sorriso porque já chorei de mais .
Sabe eu gosto do impossível, tenho medo do provável, dou risada do ridículo e choro pq tenho vontade, mais nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.
Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto da rotina, eu amos de verdade pra quem eu digo isso e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras, nem sempre coloco em prática aquilo que julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...Cuide de seus pensamentos pq se tornam palavras, escolha suas palavras pq se tornam ações , entenda suas ações pq se tornam hábitos , estude seus hábitos pq se tornam seu caráter , desenvolva seu caráter pq ele se torna seu destino .
Zé e Rô ... podemos ter defeitos , vivermos ansiosos e ficarmos irritados algumas vezes, mais não podemos esquecer que a NOSSA VIDA é a maior empresa do mundo, e que podemos evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios , incompreensões e períodos de crises.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e tornar-se autor da própria história.
Amo vcs e tenho certeza que tudo vai ser resolver , dei-me notícias bjussssssss enormes e saudades eternas para Camilla .

Anônimo disse...

camilla vai com Deus a pesar de nao te conhecer o sentimento posso diser que seria o mesmo hoje choro que uma possivel amizade nao tenha acontecido

Cândida Freitas disse...

Camilinha, não cheguei a te conhecer, mais pelo que sua bela mãe Rosângela me fala de você, era uma menina bela, querreira, amiga, companheira e adorava a família, gostaria de ter te conhecido antes de partir, mais sabemos que estará num lugar brilhante e com muita luz, pois você era assim, brilhava, minha linda fique em Paz. Deus fará a justiça.

Anônimo disse...

Olá José , Eu me chamo Raphaela , vim prestar meus votos de saudade dessa menina mulher que é é sempre foi INCRÍVEL para todos nós , uma menina meiga , risonha , brincalhona é como vou lembrar da camila por todos os meus dias...
A justiça de Deus não falha.


Estou aqui. para oque precisar.
Fique com Deus.
"A saudade eterniza a presença de quem se foi. Com o tempo esta dor se aquieta, se transforma em silêncio que espera, pelos braços da vida um dia reencontrar."
Pe. Fabio de Melo
e como eu sei que nossa camila virou um anjo lindo ,vamos nos encontrar todos ao lado do pai maior meu Deus !
Força ,Fé que Ela está resolvendo tudo por nos lá de cima !
Um grande Beijooo Tiaa Rosangela TE Adoooooro .

Anônimo disse...

Querida Rô,
Não tive o prezer de conhecer a Camilla,mais o que aconteceu com ela serviu para que eu te conhecesse...Logo no início fiquei muito chocada com as suas palavras,tive vontade de abraçar você e dizer o quanto eu sentia.Você sabe que sou mãe de três crianças e não imagino o meu mundo sem uma delas.É como se as mães participassem do sofrimento da outra por imaginar o quão doloroso significa perder um filho.Hoje já me considero sua amiga e queria que soubesse que estarei pronta para ajudar,conversar e o que mais você tiver vontade de fazer...Peço a DEUS que te dê forças para levar adiante a tua luta e que se faça justiça,mais queria que lembrasse que se foge da justiça dos homens mais não se foge da justiça Divina.Acredito que ela olha por você e pelo José e quer ver vocês felizes,ja que alegria era a marca registrada dela.Fica com DEUS e muita força.beijo grande.
Thais Castro